A Origem do Acordeon

A Origem do Acordeon


Também conhecido como acordeão ou sanfona este instrumento, tem suas origens na China iniciadas por um outro instrumento denominado “CHENG” há 2700 anos a.c. Era uma espécie de órgão portátil tocado pelo sopro da boca. Tinha a forma de uma ave, o Fênix, que os chineses consideravam o imperador das aves.

O Cheng era dividido em 3 partes :

1º – Recipiente de ar

2º – Canudo de sopro

3º – Tubos de bambu

O recipiente de ar parecia com o bojo de um bule de chá. O canudo de sopro tinha a forma de um bico de bule ou do pescoço de um cisne. A quantidade dos tubos de bambu variava, porém, a mais usada era a de 17. O fato curioso aqui, era que destes 17 tubos de bambu, 4 não tinham a abertura em baixo para entrada do ar, eram mudos, e colocados somente por uma questão de estética. Na parte superior do recipiente de ar, existiam as perfurações onde eram fixados os tubos de bambu e em cada tubo era colocado a lingueta ou palheta, para produzir o som.

Este recipiente (espécie de cabaça) era abastecido constantemente pelo sopro do músico, que tapa com as pontas dos dedos os pequenos orifícios que existem na parte inferior de cada tubo. De acordo com a musica a ser executada ele vai soltando os dedos, podendo formar assim, os acordes. Em cada tubo de bambu há um caixilho próprio para ser colocada a lingueta, presa por uma extremidade e solta na outra , que vibra livremente quando o ar comprimido a agita.

O Cheng foi o precursor do Harmônio e do Acordeão, pois foi o primeiro a ser idealizado e construído na famí­lia dos instrumentos de palheta. O nome diferenciava-se de acordo com a região que era usado, o Cheng recebia nomes como: Schonofouye , Hounofouye, Tcheng, Cheng, Khen, Tam Kim, Yu, Tchao, Ho.

De acordo com o padre jesuíta Amiot, o Cheng da China chegou em St. Petersburg, na Rússia, onde Kratzenstein (Christien Theophile), doutor em filosofia, em medicina e professor da Faculdade de Medicina na Universidade de Copenhague, nascido em Wernigerode em 1723 (Rússia), examinado o instrumento, verificou que o seu agente sonoro era uma lamina de metal que vibrava por meio do sopro produzindo sons graves e agudos. Ele sugeriu que Kirschnik aplicasse nos tubos dos órgãos de sua fabricação esta lamina livre de metal, o que foi feito em 1780. Da Rússia passou para a Europa, tendo a Alemanha tomado grande interesse sobretudo nos instrumentos de órgão.

Foi daí­ que Christien Friederich Ludwig Buschmann, fabricante de instrumentos, teve a idéia de reunir várias laminas afinadas e fixadas numa placa formando uma escala cujos sons se faziam ouvir passando rapidamente através do sopro; isto aconteceu no ano de 1822. Mais tarde ele transformou esta pequena placa num instrumento musical em um brinquedo infantil, tocado com as duas mãos ao qual deu o nome de Handaolina ou Harmônica de mão. Para tanto aumentou o número de palhetas de metal e o tamanho do aparelho , anexando- lhe um pequeno fole e uma série de botões.

Este instrumento, depois, segundo a história, foi aperfeiçoado por Koechel e 7 anos mais tarde o austrí­aco Cyrillus Demian, construiu em Viena um instrumento rudimentar de palheta livre, teclado e fole que permitiam a obtenção de acordes; Seu nome passou a se chamar “Acordeão” devendo-se ao fato de ter 4 botões na parte da mão esquerda, que ao serem tocados com os dedos afundados soava o acorde; Este nome ficou definitivamente ligado ao instrumento através de inúmeros aperfeiçoamentos que obteve ao decorrer da história.

O sistema de palheta livre já havia sido aperfeiçoado por Greniê em 1810, na França, rico em sonoridade, dando origem ao órgão, e o francês Pinsonat, empregou o mesmo sistema no Alamirê ou Diapasão Tubular que veio a chamar-se Tipófono ou Tipótono e do qual se originou a Gaita de Boca, cuja invenção se deve a Eschenbach, que é um conjunto de palhetas metálicas como linguetas, dispostas cada uma em seu caixilho e vibradas pelo ar soprado pela boca.

Mas foi na Alemanha, em 1822 que o austríaco de Viena, Cyrillus Demian construiu o 1º acordeão como conhecemos hoje. Era um acordeão diatônico. No dia seis de maio do mesmo ano registrou a patente de um organeto com cinco botões formando cinco acordes, batizando-o com o nome de Accordeon. Tambem é da Alemanha mundialmente famosa marca de acordeões Hohner.

1º Acordeon construido em 1822 por Cyrillus Demian

Na França m 1837, na França, C. Buffet, também fabricante de instrumentos fez um melhoramente bastante considerável, tornando o acordeon algo bem próximo do que conhecemos hoje. Segundo todos os tratados sobre o assunto o Acordeão nada mais é do que o aperfeiçoamento de diversos instrumentos do mesmo gênero como o Oeline de Eschenbach, o Aerophone de Christian Dietz, a Physarmônica de Hackel, etc., tomando desde esta data sua forma definitiva e seus variados registos para mudança de intensidade e timbre do som.

Mais tarde, com a escala cromática, foi que o Acordeão pode produzir qualquer melodia ou harmonia e inúmeros fabricantes o aperfeiçoaram colocando registros, tanto na mão direita com na esquerda, para maior variedade de sons. Na Itália que se fabricam os melhores acordeões, tendo sido os primeiros construídos em 1863 em Castelfidardo, em Ancona, surgindo depois Paolo Soprani e Stradella-Dellapé.


Somente a partir de 1910 é que o acordeon passa a merecer melhoramentos chegando ao nível dos atuais."

Desde então, o Acordeão, o belo instrumento que vem sendo constantemente aperfeiçoado pelos fabricantes que, entusiasmados com sua grande aceitação, procuram melhorá-lo, não só na parte mecânica como também na sonoridade. Hoje, o Acordeão é um dos instrumentos mais utilizados de todos os povos, alcançando uma grande abrangência em diversos estilos musicais, inclusive no Brasil, onde é muito difundido.

Fontes: 

Jonatas Terceiro - Músico, arranjador e diretor da Editora Primórdios.
http://www.outrosventos.com.br/portal/curiosidades/origem-do-acordeon.html#sthash.ajYsvZUB.dpuf

Método para acordeon Som Bertussi (1999), escrito por Waldir Teixeira e Adelar Bertussi.

O Acordeon no Brasil


O primeiro acordeon que chegou ao Brasil era chamado de concertina (acordeão cromático de botão com 120 baixos). O acordeon tornou-se popular principalmente no nordeste, centro–oeste e sul do Brasil. Os primeiros gêneros (fado, valsa, polca, bugiu, caijun etc.) retratavam o folclore dos imigrantes portugueses, alemães, italianos, franceses e espanóis.

Porém, no Nordeste, desde o início do século XX, mais precisamente com a construção da malha ferroviária brasileira pelos ingleses, deu-se início a um novo ritmo, o forró, característico do nordeste brasileiro, no qual um dos principais instrumentos musicais é o acordeão.

No Rio Grande do Sul, o acordeão é mais conhecido como gaita, e a gaita ponto (acordeão diatônico) também é conhecido como gaita-botoneira, gaita de botão ou simplesmente botoneira. No sul, especialmente no Rio Grande do Sul, devido ao fato de sua música tradicionalista ter a gaita como majestade e rainha dos bailes, o instrumento ficou muito conhecido. Logo grandes acordeonistas surgiram, acordeonistas estes que também foram precursores da música gaúcha a partir do final da decada de 1930 e inicio da decada de 40, tais como Pedro Raimundo, Tio Bilia, Tio Pinheiro, Reduzino Malaquias, Honeide Bertussi e Adelar Bertussi, Albino Manique, Edson Dutra, Luiz Carlos Borges, Porca Véia, Dedé Cunha, Renato Borghetti dentre tantos outros.


No Brasil, também tiveram grande destaque os Acordeons Todeschini, da cidade de Bento Gonçalves no Rio Grande do Sul. Mesmo com uma interrupção na fabricação de mais de 30 anos em 1971, em função do trágico incêndio, os acordeões desta marca continuam tendo preferência nacional por ter um som inconfundível. Ao longo de sua história, a Todeschini produziu mais de 170.000 acordeões. A qualidade dos produtos era tão grande que a Todeschini passou a fabricar acordeões para a marca Hohner. Estes eram exportados para os Estados Unidos.

Ao longo da história do acordeon, surgiram mais de duzentas fabricas deste instrumento em todo mundo. Só no Brasil já existiram várias e algumas sao citadas a seguir:

Beija Flor - Blumenau - SC
Bertolini - Cachoeira do Sul - RS
Borghetinho - Blumenau - SC
Bunji - Porto Alegre - RS
Campanhola - Caxias do Sul - RS
Capri - Porto Alegre - RS
Caravelli - Canela - RS
Dal Santo - Soledade - RS
Danielsson - Santa Rosa - RS
Frainer - SC
Frascati - Caxias do Sul - RS
Garibaldi - Garibaldi - RS
Genior - Cachoeirinha - RS
Hering - Blumenau - SC
Hohner - Blumenau - SC
Longuini - Caxias do Sul - RS
Luiz Zoplas - Garibaldi - RS
Marinela - Erechim - RS
Mascarenhas - Caxias do Sul- RS
Mesquita - Torres - RS
Minuano - Santa Rosa - RS
Mondiali - Caxias do Sul - RS
Pampa - Camaquã - RS
Pozza - Joaçaba - SC
Rampazzo - São Paulo - SP
Sapore - Santa Rosa - RS
Sartorelli - S. J.B.Vista - SP
Scala - Bento Gonçalves - RS
Scandalli - Blumenau - SC
Scapoera - Nova Prata - RS
Slavia - Canoas - RS
Sila - Canoas - RS
Somenzi - Getulio Vargas - RS
Sonave - Porto Alegre - RS
Sonelli - Canela - RS
Soprano - Caxias do Sul - RS
Supremo - Caxias do Sul- RS
Suprema - Caxias do Sul - RS
Terser & Corsetti - Caxias do Sul - RS
Todeschini - Bento Gonçalves-RS
Triches - Soledade - RS
Trovador - Canoas - RS
Tupy - Caxias do Sul - RS
Universal - Caxias do Sul - RS
Veronese - Porto Alegre - RS

Fonte: http://www.recantodasgaitas.blogspot.com

Nomes do Acordeon no Mundo !

Accordeon, accordéon, accordian, accordion, acordeão cromática, acordeão diatônica, acordeão, acordeom, acordeon, acordeona, akkordeon, akordeon, armon'rèye à pleus, bandoneón, bosca ceol, boure-èt-r'boute, buzika, concertina, cordeona, cordiona, dragspel, dragspil, fisarmonica, fisarmoniche, flutina, gaita de botão, gaita ponto, gaita soco, gaita, garmon, hanuri, harmonia, harmonica, harmônicas, harmonieflute, harmonika, harmonikos, harmonium, khene, knieharmonika, lindanda, lootspill, mello-piano, melodica, pé de bóde, pedalowka, pianada, piano a bretelles, piano des pauvres, quätskommode, reed organ, rekker, rekorgel, sanfona, satche-êt-r'boute, schwyzerorgeli, serinette, shêng, shô, taljanka, teirisch, tièsse di tchfau, tire-tire-pouse-pouse, trek, trekbull, trekharmonika, trekkspill, trekzak, trikitixa e zieharmonika.

5 comentários:

Edson germer disse...

adorei !!

Edson germer disse...

adorei a historia parabéns!! pois tenho uma universal 120 e sou apaixonado pelo acordeon

Fernanda fernandes disse...

Eu tenho uma em casa que foi do bisavô da minha companheira. Está escrito Mascarenhas. Queríamos saber quantos anos ela tem.

Fernanda fernandes disse...

Gostaria de um contato.
Vou deixar o meu e-mail
fernanda.ambai@hotmail.com
Obrigada

Unknown disse...

Boa tarde,meu marido ,adora gaita.Ele criou uma gaita de 8 pontos chamada "TETÊ".
Somos de Cachoeira do Sul ,interior do RGS.
Nilma de Figueiredo
email:nilma_figueiredopacheco@hotmail.com

Postar um comentário

 
Recanto Das Gaitas | by TNB ©2010